Ação de Formação n.º 18 – 2016/2017_PD “Trabalho Colaborativo e Partilha de Informação – Nível 1”
Modalidade: Curso de Formação
Registo de Acreditação: CCPFC/ACC – 85987/16
Duração: 15 horas presenciais
N.º de Créditos: 0,6
Formadores: Pedro Manuel Alberto e Hugo Miguel Filipe
Destinatários: Educadores de infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário
Local da Formação: Escola Sede do Agrupamento de Escolas do Paião
Inscrições:
Os professores interessados em frequentar esta ação de formação devem fazer a sua pré-inscrição em https://goo.gl/forms/AMKNDBm2Q1n5OBXv1 entre as 12,00h do dia 16 de fevereiro de 2017 e as 12,00h do dia 31 de março de 2017.
Os professores pré-inscritos serão contactados pelo CFAE Beira Mar, no dia 3 de abril, por ordem de inscrição, para concluírem o processo de formalização da sua inscrição, processo esse que implica o envio da Ficha Inscrição 181617PD, acompanhada de cópia do BI ou do CC entre os dias 4 e 11 de abril, para o endereço eletrónico geral.cfaebeiramar@gmail.com ou a entrega direta no CFAE Beira Mar, com indicação do AE e do grupo de recrutamento / disciplinas que leciona.
A confirmação das inscrições será feita pelo CFAE Beira Mar no dia 12 de abril.
A ação de formação só irá funcionar com o número mínimo de 12 formandos (número máximo a admitir: 22 formandos).
Critérios de seleção dos formandos:
1. Docentes do Agrupamento de Escolas do Paião;
2. Docentes de Unidades Orgânicas associadas do CFAE Beira Mar;
3. Docentes de Unidades Orgânicas não associadas do CFAE Beira Mar;
4. Ordem de inscrição (formulário online).
Calendarização:
– 18 de abril 9:30 – 12:30h/14:00 – 17:00h
– 19 de abril 16:30 – 19:30h
– 10 de maio 16:30 – 19:30h
– 24 de maio 16:30 – 19:30h
Total: 15 horas
Razões justificativas:
Com a atual cobertura do acesso à Internet e a diminuição de custos dos dispositivos computacionais móveis (nomeadamente laptops, tablets, smartphones e smartwatches) ou fixos, acompanhados do aumento de capacidade de processamento e de armazenamento, têm-se transformado as rotinas dos profissionais, e também os do ensino.
No trabalho docente, quer em termos de trabalho entre pares quer com os alunos, os equipamentos representativos das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) assumiram um papel fundamental. Estes recursos têm inspirado a criação de serviços (materializados em sítios da Web e aplicações, ou seja, apps) e a sua utilização para inúmeros propósitos, sobretudo para a dinamização dos processos inerentes ao processo de ensino e aprendizagem.
Existe já uma considerável quantidade de aplicações educativas ou com propósitos pedagógicos nas plataformas de divulgação e gestão de aplicações de vários sistemas operativos, como a família Windows, o Android, o iOS e as distribuições Linux, no entanto, com alguma imaginação, é possível transformar um qualquer instrumento TIC numa ferramenta didática.
Um dos principais objetivos desta ação de formação é o de retificar, rentabilizar e sensibilizar para a utilização deste tipo de recursos como apoio das atividades letivas e no trabalho docente, fomentado o trabalho colaborativo e a partilha de informação.
Os professores de todos os níveis de ensino podem beneficiar da utilização de diversas ferramentas Web (sobretudo as denominadas de “Web 2.0”) disponíveis na Internet, tais como blogues, wikis, chats, redes sociais e fóruns de discussão. A utilização da maioria destes instrumentos é gratuita (bastando fazer o registo para se ter acesso e publicar o conteúdo desejado), contribuindo-se assim para o trabalho colaborativo entre pares.
Outro ponto importante é o de revelar como essas ferramentas e instrumentos podem representar e constituir uma base sólida de atividades letivas, de uma plataforma para condução de aula ou ainda de um coletor de conteúdos digitais localizado na Web, bem como para a partilha de informação.
Estas tecnologias devem fazer parte da formação do professor “com ênfase na formação e manutenção de redes de relações sociais” na construção de uma “cultura digital que se fundamenta em tecnologias e processos livres e abertos”, para que continuem a crescer e a conquistar o seu espaço, como é o caso das redes online de professores que usam blogues. (GUTIERREZ, 2010, p.243).
Objetivos:
O curso permitirá ao professor adquirir competências na utilização pedagógico-didática de trabalho colaborativo e na partilha de informação com a utilização de serviços Web de alojamento, de produtividade e de cariz social, pela concretização dos seguintes objetivos:
1. Introduzir ao paradigma de nuvem e de serviços da Web
2. Conhecer, configurar, adicionar funcionalidades e utilizar o navegador de páginas Web de forma segura
3. Conhecer as potencialidades das plataformas de alojamento, de produtividade e partilha online:
a. Como base da atividade letiva
b. Na produção didática e avaliação da atividade discente de forma transversal e colaborativa.
Conteúdos:
O curso de formação terá a seguinte distribuição de conteúdos e respectiva carga horária:
Organização e planeamento da ação (1,0 horas)
• Avaliação de necessidades e interesses;
• Debate dos objetivos da ação;
• Organização do trabalho a desenvolver;
• Documentação e materiais de apoio.
Configuração do navegador de páginas Web (2,0 horas)
• A interface (botões, menus e teclas de atalho);
• Revisão e definição de configurações;
• Gestão de listas e da barra de marcadores;
• A central de aplicações (adição, execução e remoção de funcionalidades extra);
• Privacidade e segurança na Web — configurações, ferramentas e boas práticas.
Serviços Web para alojamento de ficheiros (3,0 horas)
• O Google Drive, a Dropbox, a MEO Cloud, outros serviços e outras técnicas;
• Alojamento e organização de ficheiros através de um dos serviços apresentados;
• Partilha para visualização ou edição colaborativa.
Ferramentas Web para produtividade de escritório (6,0 horas)
• Utilização do Google Drive e respetivas ferramentas de produtividade (documentos, apresentações, formulários, folhas de cálculo e desenho);
• Utilização de serviços Web em substituição ou complemento do caderno diário e do quadro da sala de aula;
• Utilização de serviços Web em reuniões de trabalho;
• Utilização de serviços Web na organização do trabalho individual.
Plataformas sociais, de trabalho colaborativo, ou da Web 2.0 (2,5 horas)
• A gestão de conteúdos em páginas;
• A gestão de conteúdos, de discussão e de membros de grupos ou comunidades;
• As definições de segurança e privacidade.
Avaliação (0,5 horas)
• Preenchimento do questionário.
Metodologia de realização da ação:
As atividades a realizar no curso decorrem em sessões presenciais, teórico/práticas, num total de 15 horas.
As sessões deverão ser de caráter predominantemente prático, com alguns momentos expositivos/demonstrativos que precederão as tarefas/atividades a desenvolver.
Sugere-se a metodologia de aprendizagem por execução de tarefas. Salienta-se que as atividades integradoras devem ser desenvolvidas com a preocupação de ligação com os contextos e as vivências profissionais dos participantes. Na abordagem a cada aplicação, o formador deverá propor a elaboração de recursos, documentos e materiais, com sentido no contexto profissional dos formandos.
Nas sessões de introdução a novos instrumentos, o formador deverá recorrer à projeção para exemplificar e/ou demonstrar, sendo aconselhável a utilização de apresentações eletrónicas na abordagem de conteúdos mais teóricos.
SUGESTÃO DE ORGANIZAÇÃO DAS SESSÕES
1ª Sessão (3 horas)
Organização e planeamento da ação
Configuração do navegador de páginas Web
2ª Sessão (3 horas)
Serviços Web para alojamento de ficheiros
3ª Sessão (3 horas)
Ferramentas Web para produtividade de escritório
4ª Sessão (3 horas)
Ferramentas Web para produtividade de escritório
5ª Sessão (3 horas)
Plataformas sociais, de trabalho colaborativo, ou da Web 2.0
Avaliação
Regime de avaliação dos formandos:
• Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais.
• Trabalhos práticos e reflexões efectuadas, a partir das e nas sessões presenciais, de acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados nas escala de 1 a 10, conforme indicado na Carta
Circular CCPFC – 3/2007 – Setembro 2007, com a menção qualitativa de:
– 1 a 4,9 valores – Insuficiente;
– 5 a 6,4 valores – Regular;
– 6,5 a 7,9 valores – Bom;
– 8 a 8,9 valores – Muito Bom;
– 9 a 10 valores – Excelente.
Modelo de avaliação da ação:
a) pelos formandos: resposta a um inquérito elaborado para o efeito;
b) pelo formador: resposta a um inquérito elaborado para o efeito;
c) pelo Centro de Formação: elaboração de um relatório global de avaliação com base nos instrumentos avaliativos utilizados por formandos e formador.