Ação de Formação n.º 06 – 2016/2017, “A Hiperatividade e o défice de atenção na criança e no adolescente”
Modalidade: Curso de Formação
Registo de Acreditação: CCPFC/ACC-82386/15
Duração: 20 Horas
N.º de Créditos: 0,8
Formadora: Alexandra Mendes Correia
Destinatários: Educadores, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial
Local da Formação: Escola Sede do AE Paião (Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos Dr. Pedrosa Veríssimo, Paião)
Inscrições:
Os professores interessados em frequentar esta ação de formação devem preencher e enviar a Ficha Inscrição, acompanhada do BI ou do CC para geral.cfaebeiramar@gmail.com ou entregue diretamente no CFAE Beira Mar.
O período de inscrições decorrerá entre as 12,00h do dia 15 de fevereiro de 2017 e as 12,00h do dia 23 de fevereiro de 2017.
A ação de formação só irá funcionar com o número mínimo de 12 formandos (número máximo a admitir: 18 formandos).
Critérios de seleção dos formandos:
1. Docentes do Agrupamento de Escolas do Paião;
2. Docentes de Unidades Orgânicas associadas do CFAE Beira Mar;
3. Docentes de Unidades Orgânicas não associadas do CFAE Beira Mar;
4. Ordem de inscrição.
Calendarização:
27 de fevereiro (2.ª feira) 9.00h-13.00h;14,00-18,00h – 8 horas
8 de março (4.ª feira) 16.30h – 18.30h – 2 horas
15 de março (4.ª feira) 16.30h – 18.30h – 2 horas
11 de abril (3.ª feira) 9.00h-13.00h;14,00-18,00h – 8 horas
Total 20 Horas
Razões justificativas
A desordem por défice de atenção e hiperatividade encontra-se em, aproximadamente 3-5% da população infantil. Em Portugal não existem ainda dados epidemiológicos precisos mas pensa-se que a prevalência será sensivelmente semelhante.
A hiperatividade é uma desordem crónica apenas controlável através de medicação estimulante, terapia comportamental e estratégias educativas adequadas. Nesta sequência surge o ensino estruturado como uma das respostas possíveis a esta desordem.
O contacto com vários professores, indica que, excetuando a informação proveniente de relatórios médicos ou psicológicos, a falta de esclarecimento e apoio no que respeita esta desordem é notória. Por vezes nem mesmo o clínico geral tem uma noção precisa desta patologia do desenvolvimento.
Perante a realidade existente é fundamental que o corpo docente saiba que medidas educativas e remediativas tomar para minimizar o impacto de uma desordem que compromete o desenvolvimento escolar e social da criança e adolescente.
Esta ação de formação procura ajudar a ultrapassar esta dificuldade, fornecendo um quadro teórico e uma fundamentação prática que poderão contribuir para minimizar o problema existente na realidade escolar/ pedagógica portuguesa.
Objetivos:
– Sensibilizar os professores para a desordem por hiperatividade e défice de atenção nas crianças e adolescentes
– Desenvolver competências de gestão do comportamento.
– Divulgar projetos desenvolvidos em vários países para controlo destes comportamentos.
– Realçar a importância do professor e da escola na identificação e encaminhamentos destes casos.
– Dotar os professores de metodologias de intervenção adequadas às patologias e aos problemas identificados.
Conteúdos:
Hiperatividade e Défice de Atenção nas crianças e adolescentes
Características primárias:
Défice de atenção
Défice no controlo do comportamento
Hiperatividade
Impulsividade
Menor aptidão para seguir regras ou diretrizes
Desempenho inconsistente
Características Secundárias
Abordagem educacional do Défice de Atenção e Hiperatividade
Avaliação escolar
Educação do professor
Princípios de gestão comportamental
Curriculum, estrutura escolar e tarefas
Abordagem especial para adolescentes
Situação atual: serviços de apoio
Casos práticos
Metodologia de realização da ação:
– Sessões com componentes teóricas e teórico-práticas
– Sessões expositivas com apresentação de imagens, vídeos e filmes
– Análise de documentos de apoio em trabalho de grupo
– Análise de casos/ apresentação de situações problemáticas
– Reflexão e debate sobre as situações apresentadas
Regime de avaliação dos formandos:
Avaliação quantitativa, expressa de 1 a 10 valores, de acordo com as orientações da carta circular CCPFC-3/2007, de setembro de 2007, com base nos seguintes parâmetros e ponderação:
Assiduidade e Pontualidade – 30% – 3
Interesse e participação ativa e fundamentada nas sessões presenciais – 20% – 2
Trabalho Final Individual/Reflexão – 50% – 5
Total: 100% – 10