Ação de Formação online Ferramentas web na avaliação online das aprendizagens
Modalidade: Curso de Formação
Registo de Acreditação: CCPFC/ACC – 86896/16
Duração: 25 horas (e-learning – 15 horas síncronas + 10h assíncronas, atividades práticas)
N.º de Créditos: 1,0
Formador: Nuno Miguel Taborda Dorotea (Centro de Competência em Tecnologias e Inovação, Universidade de Lisboa)
Destinatários: Professores do 3.º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário
Local da Formação: Plataforma virtual
Inscrições:
Os professores interessados em frequentar esta ação de formação devem preencher e enviar a ficha-inscricao-171617pd, acompanhada do BI ou do CC para geral.cfaebeiramar@gmail.com ou entregue diretamente no CFAE Beira Mar.
O período de inscrições decorrerá entre as 12,00h do dia 24 de janeiro de 2017 e as 12,00h do dia 18 de abril de 2017.
O valor a pagar por cada formando será de €30,00, através de transferência bancária feita após confirmação da inclusão em turma e de acordo com as orientações indicadas no email de confirmação.
A ação de formação só irá funcionar com o número mínimo de 25 formandos (número máximo a admitir: 35 formandos).
Os formandos são responsáveis por garantir que possuem conhecimentos básicos de informática e equipamento informático com ligação à internet e com webcam e micro.
Critérios de seleção dos formandos:
1. Docentes de Unidades Orgânicas associadas do CFAE Beira Mar;
2. Docentes de Unidades Orgânicas não associadas do CFAE Beira Mar;
3. Ordem de inscrição.
Nova Calendarização das Sessões síncronas:
26 de abril, quarta-feira 20:00 – 23:00h
3 de maio, quarta-feira 20:00 – 23:00h
10 de maio, quarta-feira 20:00 – 23:00h
17 de maio, quarta-feira 20:00 – 23:00h
31 de maio, quarta-feira 20:00 – 23:00h
Razões justificativas:
O sucesso escolar dos alunos assenta, em grande parte, em educadores motivados e preparados para atuar, de modo consistente e formativo em todas as vertentes, no processo de desenvolvimento dos alunos, numa perspetiva integral do indivíduo como elemento responsável, autónomo e participativo da sociedade atual. Neste processo, a avaliação constitui um elemento essencial do processo de aprendizagem e de ensino que deve ser pensada em simultâneo com as atividades de aprendizagem aquando da planificação, devendo ser concebida como um meio e não como um fim.
Ora, a avaliação é um processo complexo. Não só pela sua natureza, como também pelas implicações que tem na vida pessoal e familiar dos alunos.
Uma avaliação de elevada qualidade, pode facilitar a aprendizagem de elevada qualidade porque indica o que é importante aprender, consolida aprendizagens, estrutura adequadamente a forma como devem estudar e o tempo a dedicar ao trabalho académico, promove o desenvolvimento de processos de análise, síntese e metacognição, e motiva para o prazer na aprendizagem em si, desviando a sua atenção das classificações finais pois envia a mensagem que são estes são os verdadeiros objetivos de ensino-aprendizagem. Contudo, uma má avaliação, pode desencorajar ou impedir a aprendizagem e até pode recompensar desempenhos pouco desejáveis que tenderão a consolidar-se futuramente.
Por outro lado, a avaliação deve ser consistente com as práticas docentes dos professores, promovendo uma influência consistente nas práticas de ensino e direcionando-as para a implementação das inovações preconizadas no currículo. Neste sentido, a avaliação deve apoiar-se em instrumentos diversificados construídos em função “do quê” e “para quê”, apoiando-se num processo contínuo e interativo de recolha e análise de informação, fundamental para fornecer um feedback efetivo ao aluno e ao professor, aumentar a motivação e a autoestima dos estudantes, assim como a sua capacidade de aprender autonomamente.
Deste modo, esta ação de formação pretende auxiliar os professores a tirar partido da utilização de ferramentas da Web 2.0 para construir instrumentos diversificados que, especificamente, permitam (1) avaliar as aprendizagens dos alunos, ou as competências transversais que vão desenvolvendo, bem como (2) monitorizar os processos de aprendizagem, detetando dificuldades e permitindo aos alunos, orientados pelo professor, construir os seus próprios processos de aprendizagem que respeitem ritmos e processos individuais.
Objetivos:
Pretende-se que os formandos:
– Identifiquem os instrumentos adequados a cada propósito da avaliação;
– Planifiquem a avaliação online de unidades didáticas apoiada em taxonomias de aprendizagem;
– Identifiquem as vantagens e desvantagens na avaliação online das aprendizagens;
– Ilustrem formas de ultrapassar as desvantagens na avaliação online das aprendizagens;
– Identifiquem, selecionem, avaliem e utilizem ferramentas da Web 2.0 na avaliação das aprendizagens;
– Promovam o desenvolvimento de competências na seleção das ferramentas da Web 2.0 adequadas a cada situação;
– Reconheçam as potencialidades e os constrangimentos de cada ferramenta;
– Sejam capaz de implementar instrumentos de avaliação numa ferramenta online.
Conteúdos:
Organização e planeamento da ação (1 hora)
• Apresentação da ação, objetivos e conteúdos
• Organização do trabalho a desenvolver
• Documentação e recursos de apoio
Conceitos básicos de avaliação (4 horas)
• Clarificação do conceito de avaliação
• Dilemas, funções, objetivos, referenciais, métodos e instrumentos
Ambientes online e novas abordagens na avaliação das aprendizagens (4 horas)
• Aprendizagem e avaliação na era digital
• Competências e Taxonomias em ambientes digitais
• Vantagens e desvantagens da avaliação em ambientes online
• Avaliação online das aprendizagens vs Avaliação das aprendizagens online
• Feedback
Qualidade da Avaliação (2h)
• Critérios de qualidade e regulação da avaliação: fiabilidade e validade
Instrumentos de avaliação e aplicações online para avaliação das aprendizagens (12 horas)
• Módulos e aplicações para LMS (ex: Moodle)
• Quizz builders
• Aplicativos Web 2.0
• Análise da aplicabilidade pedagógica destas ferramentas
Avaliação (2 horas)
• Apresentação e apreciação de trabalhos.
• Avaliação da ação.
Metodologia de realização da ação:
As sessões serão compostas por uma parte teórica e uma parte prática.
Iniciam-se com a exposição teórica e demonstrativa dos conteúdos, por parte do formador, e com exemplos devidamente contextualizados. Segue-se uma exploração conjunta com os formandos dos ambientes online e dos instrumentos de avaliação e aplicações online para avaliação das aprendizagens.
A formação será suportada por uma plataforma Moodle, de fácil acesso e utilização, cujo endereço será divulgado oportunamente e que conterá toda a documentação fundamental e de apoio. Esta plataforma proporcionará um espaço de reflexão e de partilha entre os formandos. As sessões síncronas serão realizadas com recurso à plataforma Zoom, de utilização fácil e intuitiva, cujo endereço será oportunamente divulgado.
O formador estará disponível para esclarecer e apoiar os formandos em possíveis dificuldades na utilização destas plataformas.
Em grupo, ou individualmente, os formandos deverão iniciar o desenvolvimento de um pequeno projeto de planificação (visando a sua implementação posterior em sala de aula com os alunos) de diversas modalidades de instrumentos de avaliação diagnóstica, formativa, sumativa de apoio às aprendizagens de um determinado conteúdo programático das disciplinas lecionadas pelos formandos, destinadas a ser utilizadas online e recorrendo às ferramentas Web trabalhadas.
Regime de avaliação dos formandos:
Para efeitos de avaliação, os formandos serão chamados a desenvolver trabalhos práticos de aplicação dos conteúdos inerentes a cada tema. Os trabalhos serão realizados individualmente ou em grupo. O curso de formação contempla um conjunto de conteúdos que pretendem promover competências no desenvolvimento de instrumentos de avaliação e sua implementação em ferramentas online de fácil conceção e utilização.
Elementos de avaliação e respetivas ponderações:
– Participação nas sessões (40%)
– Trabalhos individuais e em grupo a desenvolver e apresentar ao longo da ação (60%)
Os formandos são obrigados a participar em 2/3 das sessões síncronas e a realizar todas as tarefas propostas.
* De acordo com os critérios previamente estabelecidos, classificados na escala de 1 a 10, conforme indicado na Carta Circular CCPFC – 3/2007 – Setembro 2007, com a menção qualitativa de:
– 1 a 4,9 valores – Insuficiente
– 5 a 6,4 valores – Regular
– 6,5 a 7,9 valores – Bom
– 8 a 8,9 valores – Muito Bom
– 9 a 10 valores – Excelente
e com base em:
1) qualidade da participação nas sessões;
2) qualidade dos trabalhos práticos propostos (construção de instrumentos de avaliação utilizando ferramentas Web na avaliação online das aprendizagens);
3) qualidade das reflexões efetuadas;
4) cumprimento dos prazos de realização das atividades.
Modelo de avaliação da ação:
a) pelos formandos: resposta a um inquérito elaborado para o efeito;
b) pelo formador: resposta a um inquérito elaborado para o efeito;
c) pelo Centro de Formação: elaboração de um relatório global de avaliação com base nos instrumentos avaliativos utilizados por formandos e formador.