Ação de Formação Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo – 3º ciclo/Sec/Profissional
Modalidade: Oficina de Formação
Registo de Acreditação: CCPFC/ACC – 79392/14
Duração: 25 horas presenciais + 25 trabalho autónomo
N.º de Créditos: 2,0
Formador: Alexandre Almeida (GES Entrepreneur)
Destinatários: Professores dos Ensinos Básico e Secundário
Local da Formação: CAE – Figueira da Foz
Inscrições:
Os professores interessados em frequentar esta ação de formação devem preencher e enviar a ficha-de-inscricao-071617pd, acompanhada do BI ou do CC para geral.cfaebeiramar@gmail.com ou entregue diretamente no CFAE Beira Mar.
O período de inscrições decorrerá entre as 12,00h do dia 21 de outubro de 2016 e as 12,00h do dia 9 de novembro de 2016.
A ação de formação só irá funcionar com o número mínimo de 12 formandos (número máximo a admitir: 20 formandos).
Critérios de seleção dos formandos:
1. Docentes indicados diretamente pelas Unidades Orgânicas do CFAE Beira Mar;
2. Docentes de Unidades Orgânicas associadas do CFAE Beira Mar;
3. Docentes de Unidades Orgânicas não associadas do CFAE Beira Mar;
4. Ordem de inscrição.
Calendarização:
14 de novembro, segunda-feira 18,30 – 21,30h
28 de novembro, segunda-feira 18,30 – 21,30h
9 de janeiro, segunda-feira 18,30 – 21,30h
30 de janeiro, segunda-feira 18,30 – 21,30h
13 de fevereiro, segunda-feira 18,30 – 21,30h
20 de março, segunda-feira 18,30 – 21,30h
24 de abril, segunda-feira 18,30 – 21,30h
15 de maio, segunda-feira 18,30 – 22,30h
Razões justificativas da ação e sua inserção no plano de atividades da entidade proponente: problemas/necessidades de formação identificados
Esta formação de professores visa promover a aquisição de novas competências pedagógicas, transferíveis para a sua prática diária como professores de qualquer domínio científico e também de uma forma mais abrangente, na conceção, elaboração e implementação de programas e atividades pedagógicas no âmbito do empreendedorismo. Pretende-se também a adoção de novas abordagens e metodologias aplicadas às realidades concretas dos seus alunos a cada momento.
Esta formação foi ainda desenvolvida com base no modelo de educação em empreendedorismo adotado pela CG “International”, através do modelo de aprendizagem baseado na experiência e na ação.
Deste modo, a Formação de Professores em Empreendedorismo pretende oferecer lhe atividades baseadas numa metodologia activa “learning by doing”, proporcionando-lhe:
– a introdução ao modelo da CG “International” e aprofundamento da educação em empreendedorismo;
– a oportunidade para descobrir e testar as suas qualidades e capacidades empreendedoras, assim como as dos outros que o rodeiam;
– a oportunidade para desenvolver aulas e diferentes estratégias de ensino baseadas no empreendedorismo;
– experiências, durante a formação que lhe irão proporcionar momentos lúdicos enquanto aprende.
Esta oficina de formação pretende preparar os docentes para intervir e desenvolver sessões sobre uma temática recente e atual que terá a curto médio prazo uma maior importância nos contextos de educação e formação em Portugal.
Na componente teórica e desenvolvida em sala de aula os professores terão oportunidade de compreender a importância e a necessidade da temática ser introduzida nas práticas educativas.
Objetivos: Mudança de práticas, procedimentos ou materiais didáticos
O que se pretende com esta oficina é proporcionar aos professores o contacto com uma nova realidade que será a curto prazo emergente no sistema educativo. Este momento formativo irá colocar os professores em condições de ministrarem sessões sobre esta temática com os seus alunos, ao mesmo tempo que os irá familiarizar com a metodologia de ensino “learning by doing” a mais indicada e mais utilizada para o ensino/aprendizagem desta temática. Assim, os objetivos específicos desta Oficina são:
– Sensibilizar os formandos para a importância, pertinência e utilidade do empreendedorismo no mundo atual;
– Familiarizar os formandos com o modelo de formação utilizado, “learning by doing”;
– Promover atividades que permitam desenvolver e descobrir o espírito empreendedor;
– Distinguir, de modo fundamentado, os diferentes métodos e estratégias utilizados;
– Permitir a utilização de novas competências pedagógicas a utilizar na elaboração de programas e planificação de aulas;
– Utilizar adequadamente, através de simulação, os dispositivos metodológicos;
– Implementar estratégias para ajustar e alcançar objetivos empreendedores;
– Desenvolver, nos formandos, capacidade de facilitadores em empreendedorismo.
– Implementar junto dos seus alunos atividades e dinâmicas formativas associadas à temática do empreendedorismo.
Conteúdos:
SESSÕES DE TRABALHO PRESENCIAL (25 HORAS)
1 – Introdução à temática do empreendedorismo e suas implicações
Atividades de “descoberta do grupo” para a criação um ambiente de confiança e partilha entre os formandos e autoavaliação acerca das suas características empreendedoras.
Atividades “anatomia do empreendedor” – o perfil e características de um empreendedor.
Sensibilização para a importância do empreendedorismo no século XXI. A compreensão do papel dos empreendedores na sociedade,
2 – A criatividade e inovação no processo empreendedor.
Atividades de geração de ideias (“Processo Walt Disney” e o brainstorming).
Preparação da atividade “empreendedor por 1 dia”.
3 – A educação em empreendedorismo (ponto de situação e oportunidades)
Atividade “almoço com empreendedores”
Introdução ao modelo de ensino do empreendedorismo – “Modelo de ensino da CGI – atividades para a compreensão do modelo e suas diferentes fases.
4 – O empreendedorismo em sala de aula
Construção de atividades de Empreendedorismo utilizando o modelo de ensino/aprendizagem da CGI.
Análise da realidade nacional e internacional do ensino do empreendedorismo e compreenderão as enormes oportunidades de incluírem estas temáticas nos seus planos de atividades.
Debate com os formandos acerca do desenvolvimento do curso e avaliação da formação.
Metodologia de realização da ação:
SESSÕES DE TRABALHO PRESENCIAL (25 HORAS)
As sessões serão essencialmente teórico-práticas e práticas. Serão utilizados os métodos, expositivo, interrogativo e ativos, recorrendo a diferentes estratégias e técnicas pedagógicas: trabalho de grupo, debate, resolução de problemas, simulação e jogos pedagógicos.
Os professores serão colocados perante desafios e problemas que devem resolver, com o intuito de os motivar para a temática, de experienciar diferentes situações empreendedoras e perceber qual a pertinência da temática no mundo atual e no contexto educativo.
As sessões presenciais visam motivar os professores para a temática e levá-los a descobrir o seu perfil empreendedor, mas para além disso, procurar-se-á trabalhar com eles conteúdos, conhecimentos e atividades que eles possam depois desenvolver e implementar com os alunos.
SESSÕES DE TRABALHO AUTÓNOMO (25 HORAS)
Os professores terão também oportunidade de compreender a importância da temática para a escola enquanto organização. Os professores irão ser confrontados com um conjunto de informação que os irá ajudar a perceber a importância de desde muito cedo começar a fazer nesta temática aos alunos.
Este momento da formação irá acontecer em contexto real (atividades letivas com os alunos). Esta fase, eminentemente prática e de aplicação dos conteúdos e ferramentas aprendidas nas sessões presenciais, consistirá na exposição da temática a 1 turma pré-selecionada pelo professor.
O professor desenvolverá um conjunto de sessões sobre empreendedorismo em que se pretende que os alunos consigam compreender o conceito e a temática e desenvolver pequenas atividades empreendedoras em que irão testar as suas capacidades. O professor será acompanhado, em alguns momentos, pelos formadores, sendo este um aspeto essencial da oficina.
O professor será também o dinamizador de um momento final de demonstração de aprendizagens, que resultará numa mostra de atividades e trabalhos desenvolvidos.
Regime de avaliação dos formandos:
Classificados de 1 a 10, com a menção qualitativa de:
• 1 a 4,9 valores – Insuficiente;
• 5 a 6,4 valores – Regular;
• 6,5 a 7,9 valores – Bom;
• 8 a 8,9 valores – Muito Bom;
• 9 a 10 valores – Excelente.
Os formandos serão sujeitos a uma avaliação contínua por observação e formulação de perguntas e ainda a realização de um relatório final.
Os critérios a utilizar são:
– Domínio dos assuntos (aplica os conhecimentos)
– Progresso
– Participação
– Responsabilidade
– Relações interpessoais
– Generalização dos saberes (transfere ou generaliza os saberes adquiridos a novas situações)
– Empenho
– Organização
– Autonomia
– Iniciativa
Estes critérios incidirão nos seguintes parâmetros:
PARTICIPAÇÃO no Trabalho Presencial – 50%
• Interesse e empenho (20 %)
• Participação ativa e domínio dos conteúdos (30%)
TRABALHO DESENVOLVIDO JUNTO DOS ALUNOS – 50%
• Dinamização das sessões de empreendedorismo junto dos alunos (35%).
• Envolvimento e empenho no apoio ao momento final do projeto (15%)
Forma de avaliação da ação:
a) pelos formandos: resposta a um inquérito elaborado para o efeito;
b) pelo formador: resposta a um inquérito elaborado para o efeito;
c) pelo Centro de Formação: elaboração de um relatório global de avaliação com base nos instrumentos avaliativos utilizados por formandos e formador.