Apresentação do Curso:
Com uma destacada componente prática, este Curso de formação acreditado pelo CCPFC permitirá ao formando efetuar exercícios e apropriar-se dos conteúdos da lógica proposicional enquanto instrumentos do pensamento crítico que o aluno deverá mobilizar na análise de teorias e argumentos filosóficos.

Formadores:
Domingos Faria é investigador no Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa e membro do LanCog. Doutorado em Epistemologia e Filosofia da Religião pela Universidade de Lisboa. É autor de manuais escolares do Ensino Secundário das disciplinas de Filosofia e Psicologia, bem como de materiais didáticos. Publicou artigos de Filosofia em revistas internacionais de especialidade e fez comunicações em encontros internacionais de Filosofia. Leciona cursos de formação em Lógica, Epistemologia, Metafísica, e Filosofia da Religião. Pode acompanhar o seu blogue de filosofia no seguinte endereço: http://blog.domingosfaria.net/
Luís Veríssimo é doutorando em Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Investigador do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa. Publicou artigos de Filosofia em revistas internacionais de especialidade. É autor de manuais escolares do Ensino Secundário das disciplinas de Filosofia e Psicologia, bem como de materiais didáticos. Leciona cursos de formação em Lógica, Ética, Metafísica, e Filosofia da Religião. Formador do Curso de Introdução à Metaética Contemporânea na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Razões justificativas:
A lógica tem sido uma área algo negligenciada no ensino da filosofia ao nível do ensino secundário. Em nosso entender, o tratamento excessivamente superficial de alguns tópicos e a sua circunscrição programática a uma unidade curricular são dois aspetos que contribuem para que os alunos não compreendam a sua importância para a discussão argumentativa em geral e para a prática filosófica, propriamente dita, em particular.
Assim, nesta ação propomos que, ao longo dos dois anos previstos para a lecionação da disciplina, seja transmitido aos alunos um conjunto mínimo de ferramentas lógicas, devidamente enquadradas e aplicadas à discussão de problemas ou argumentos filosóficos concretos, previstos nas orientações curriculares para a disciplina de Filosofia. Evitando, deste modo, uma visão da lógica como uma unidade estanque, aparentemente desligada do resto do programa e pouco útil para o trabalho filosófico desenvolvido dentro e fora da sala de aula. Para esse efeito, a formação dos docentes deverá incidir numa base robusta de competências lógico-filosóficas que favoreçam o desenvolvimento desse tipo de trabalho, de forma a potenciar as capacidades discursivas e argumentativas dos alunos.
Espera-se ainda que os docentes desenvolvam recursos didático-pedagógicos adequados a um ensino eficaz e rigoroso da lógica, que possam posteriormente ser aplicados em contexto de sala de aula.

Objetivos:
• Operacionalizar as noções de proposição, argumento e validade.
• Negar proposições categóricas e hipotéticas.
• Compreender as noções de variável proposicional, conectiva proposicional e âmbito.
• Identificar os cinco operadores proposicionais verofuncionais da lógica proposicional clássica.
• Traduzir e formalizar expressões da linguagem comum em fórmulas bem formadas da lógica proposicional clássica.
• Representar as funções de verdade dos cinco operadores proposicionais verofuncionais da lógica proposicional clássica através de tabelas de verdade.
• Avaliar a validade de formas argumentativas recorrendo a inspetores de circunstâncias.
• Demonstrar a validade de formas argumentativas recorrendo a derivações.
• Avaliar a validade de formas argumentativas recorrendo a árvores de refutação.
• Debater alguns problemas que a lógica proposicional clássica enfrenta.
• Produzir material didáctico-pedagógico vocacionado para o ensino da lógica.

Metodologia de realização da ação:
As sessões serão compostas por uma parte teórica e uma parte prática. Iniciam-se com a exposição teórica e demonstrativa dos conteúdos, por parte do formador, e com exemplos devidamente contextualizados. Segue-se uma exploração conjunta com os formandos dos conteúdos abordados.
A formação será suportada por uma plataforma Moodle, de fácil acesso e utilização, cujo endereço será divulgado oportunamente e que conterá toda a documentação fundamental e de apoio. Esta plataforma proporcionará um espaço de reflexão e de partilha entre os formandos. As sessões síncronas serão realizadas com recurso à plataforma Zoom, de utilização fácil e intuitiva, cujo endereço será oportunamente divulgado.
O formador estará disponível para esclarecer e apoiar os formandos em possíveis dificuldades na utilização destas plataformas.
Nas sessões assíncronas, os formandos deverão, individualmente ou em grupo, realizar um conjunto diversificado de tarefas com recurso aos materiais disponibilizados para o efeito através da plataforma Moodle (como por exemplo: realizar exercícios de consolidação, ler e debater textos relevantes, discutir em fórum os problemas em consideração, produzir materiais e recursos didáticos vocacionados para o ensino da lógica, entre outras).