Destinatários:
Docentes/não docentes de todos os ciclos de ensino

Contextualização:
Desde sempre que educadores e docentes influenciam as aprendizagens das crianças – estas aprendizagens, normalmente de índole científica, estão por vezes também ligadas ao conhecimento do meio envolvente.
A Casa Gandaresa é uma habitação de tipo casa-pátio. O seu nome provém da sua larga predominância na Gândara, tendo provavelmente origem árabe e romana, e era, até há poucos anos, a casa que predominava nesta região.
É, assim, necessária a existência de formação que reforce as competências científicas e pedagógico-didáticas do pessoal docente não docente nas áreas da identidade local.

Objetivos:
– Valorizar a marca identitária da Região da Gândara, avivando memórias e pesrpetivando a construção ou recuperação de uma habitação tradicional para a preservação de um património cultural futuro, material e imaterial;
– Promover dinâmicas que permitam a participação coletiva:
a) Na definição de estratégias para a concretização de ações relacionadas com a preservação de uma arquitetura tradicional em vias de extinção;
b) Na concretização de propostas para a criação de um projeto “vivo” e integrante nas diversas dinâmicas sociais e culturais da Freguesia do Seixo;
– Identificar prós e contras de recuperação duma Casa Gandaresa, destinada à habitação nos nossos dias

Conteúdos:
A casa gandaresa
O adobe
Materiais e técnicas de construção no rasto da sustentabilidade
Novas utilizações da casa gandaresa
Prós e contras de recuperação duma casa gandaresa, destinada à habitação dos nossos dias

Calendarização:
Dia 24 de março de 2017, das 14:30 as 20:30 (6 horas)

Local:
Centro Paroquial do Seixo (Freguesia de Mira)

Formadores:
Doutor Aníbal Costa (Universidade de Aveiro)
Doutora Alice Tavares (Universidade de Aveiro)

Inscrições:
No CFAE Beira Mar, em https://goo.gl/forms/NGa4wEZGQX2em81z2