Destinatários:
Docentes do 2º Ciclo do Ensino Básico, Educadores de Infância e Não docentes

Contextualização:
Estudos apontam que educadores e docentes influenciam as aprendizagens de crianças e jovens em várias temáticas complementares à aprendizagem académica.
Programas ou projetos desenhados “com e para” toda a comunidade educativa, numa perspetiva holística, revelaram-se estratégias mais efetivas na promoção da saúde mental de crianças, jovens e adultos.
No projeto da Saúde Escolar da USP Mira, em parceria com o PES está prevista a colaboração da comunidade educativa, de modo mais ativo, na área da Saúde Mental.
A OMS (Organização Mundial da Saúde) refere que as perturbações mentais representam 22% das Doenças não Transmissíveis nos grupos etários dos 5-14 e 26% no grupo dos 15-19 anos. A OMS Europa e a Academia Americana da Psiquiatria da Infância e Adolescência assinalam que uma em cada cinco crianças apresenta evidência de problemas mentais e que cerca de metade destas tem uma desordem psiquiátrica. Alem disso, dificuldades de aprendizagem, atenção e instabilidade psicomotora, comportamento, indisciplina e violência, auto ou hétero dirigida, muitas vezes estarão ligadas a manifestações de elevado sofrimento emocional.
Sabemos que a saúde mental e as competências socioemocionais afetam o processo de capacitação e são o pilar da promoção de estilos de vida saudáveis e da prevenção de comportamentos de risco, e que dependem da qualidade da interação entre a criança/jovem, a família, a escola e o meio sociocultural envolvente.
As competências socioemocionais e o seu desenvolvimento potenciam resiliência aos alunos, permitem-lhes identificar as suas próprias emoções e a melhor forma de lidar com elas e promovem a tomada de decisões mais responsáveis, quer sobre a sua saúde, quer com a sua vida.
Os Projetos de Promoção de Competências Socioemocionais/Social and Emotional Learning (SEL) incluem as aprendizagens num contexto relacional de apoio. Tornam as escolas desafiadoras, envolventes e significativas. A médio prazo, melhoram os indicadores sociais e de saúde: promovem climas de aprendizagem amigáveis, influenciam crianças e jovens para o sentido de pertença à escola, previnem comportamentos de risco e aumentam o sucesso na escola e na vida. Contribuem para o desenvolvimento de autoconhecimento, autogestão, consciência social, relações interpessoais e tomada de decisão responsável.
Na apresentação dos projetos à escola foi referida necessidade de formação aos professores para reforço e atualização de competências científicas e pedagógico-didáticas do pessoal docente não docente.

Objetivos:
• Promoção da saúde, do bem-estar mental e do sucesso educativo através de uma abordagem compreensiva e holística de toda a Escola, integrada na promoção e educação para a saúde;
• Promoção de um ambiente escolar seguro, de suporte e protetor, respeitando os princípios da confidencialidade, de modo a que a comunidade educativa se sinta confiante para discutir e para solicitar apoio face às necessidades sentidas;
• Consciencialização de que alguns fatores de proteção e de risco têm impacto nos resultados a nível da saúde e da educação e que influenciam as escolhas a nível pessoal e do grupo;
• Sensibilização dos docentes para uma metodologia de projeto conjunta, capacitando-os para a implementação deste modelo em meio escolar;
• Capacitação dos docentes para ser, juntamente com a equipa de Saúde Escolar, essencialmente, recurso de suporte a escolhas a nível pessoal e do grupo e facilitadores de aprendizagens e de tomada de decisão referentes ao potencial de saúde;

Conteúdos:
No projeto Saúde Mental em Saúde Escolar serão abordados as Competências Socioemocionais – identidade; comunicação; emoções; autonomia; proteção; violência; escolhas, desafios e perdas; valores; interação; pertença.

Calendarização:
Dia 8 de novembro de 2017, das 15,00h às 18,00h (3 horas)

Local:
Agrupamento de Escolas de Mira

Formadoras:
Mestre Mariline Ribeiro
Enfermeira Paula Castelhano

Inscrições:
https://goo.gl/forms/bhOuvBM2Gu7lVqUr2